Injoy – Nutrição Infantil

Lisa Afonso,  Sónia Coelho

Na alimentação complementar os pais ensinam o bebé a comer, mas também a beber água. Logo que, com a introdução de alimentos, há redução do consumo de leite devemos oferecer água ao bebé. A água é fundamental para garantir o bom funcionamento do intestino, mas também para que muitas reações decorram com normalidade no nosso corpo. Não é por acaso que um nível de hidratação adequado se associa à prevenção de uma série de doenças.

O bebé está habituado à mama ou biberão e a ingerir líquidos por sucção e queremos, nesta fase, diferenciar o ato de beber água. Mas então, qual o melhor copo para o efeito? A literatura científica na área é escassa, o que dificulta recomendações baseadas em evidência.

Por outro lado, a nutrição e a terapia da fala, à luz do seu conhecimento, nem sempre estão de acordo na resposta a esta questão. Por isso achamos útil poder encontrar um consenso. Afinal de contas, é da reflexão crítica sobre temas controversos que se criam novas soluções.

O ponto de vista de Lisa Afonso, nutricionista:

Beber significa que o bebé recebe água livremente na boca (isto é, sem ter que fazer sucção) e movimenta a parte anterior da língua na direção do palato duro, ao mesmo tempo que a parte posterior desce e se abre a orofaringe. Ou seja, beber implica destreza muscular para coordenar estas ações

Quando o bebé recebe água na boca por sucção não estamos verdadeiramente a ensinar o bebé a beber (apesar de estarmos a contribuir para a sua hidratação) e podemos estar a atrasar a aquisição desta competência. E é por isso que o copo a privilegiar é o copo aberto ou, em alternativa, um copo com livre vazamento. É que todos os copos ‘anti-vazamento’ (por exemplo o copo 360 ou copo com bocal de silicone) ou que têm palha, implicam que se faça sucção para aceder à água e não são, por isso, recomendados. Mais ainda: não interessa ensinar o bebé a beber por palha pois futuramente apenas o fará para beber sumos ou outras bebidas açucaradas e esta não é uma prática que queiramos incentivar.

Alguns exemplos destes copos:

 

Copo 360 Munchkin

Copo com bocal de silicone Chicco         

Depois temos copos com bocal que permitem vazamento. São copos com o bocal rígido, com buracos de saída de água maiores. Quando os viramos, vertem água e por isso muitas vezes são copos com tampa. Com estes copos o bebé vai receber água na boca livremente e aprenderá a beber.

Alguns exemplos:

Copo Ikea

Copo Mariposa

Mas, qual é a perspetiva da terapia da fala sobre estes copos?

O ponto de vista de Sónia Coelho, terapeuta da fala:

Na terapia da fala é priorizada a avaliação das funções do sistema estomatognático e o seu funcionamento em equilíbrio, assim como respeitar o crescimento craniofacial.

A inter-relação da introdução da alimentação complementar e do copo com o desenvolvimento sensório-motor é, também, uma área muito escassa em estudos
científicos. Contudo, sabemos que o ideal será sempre o copo aberto, permitindo ao bebé aprender o movimento necessário de lábios e língua para o ato de beber.

No entanto, quando saímos, nem sempre o copo aberto é prático, preferindo os pais opções que ajudem no não vazamento da água. Nestes casos e, considerando que são esporádicos voltando ao copo aberto assim que possível, a terapia da fala está de acordo com a nutrição de que copos ‘anti-vazamento’ (por exemplo o copo 360 ou copo com bocal) não serão uma boa opção. E porquê??

Os primeiros (copo 360) exigem forças e compensações excessivas dos músculos orofaciais, mandibula e, muitas vezes até dos dentes para estabilizar o copo e sugar a água; já os segundos, e aqui divergimos, porque com bocal/bico de silicone ou duro, acabam por ser semelhantes ao biberão, sendo um bico dentro da boca que vai, assim,
favorecer uma postura de língua baixa ou mesmo para a frente, entre os dentes – posturas estas erradas, que se poderão manter em repouso e levar a consequências na respiração, alimentação, fala e no crescimento craniofacial e dentário.

Assim, do ponto de vista da terapia da fala é preferível, em ocasiões casuais, o uso de copos pop-up ou com tampa, sem válvulas e, com palhinha curta, assim facilitamos o não vazamento da água, que a água saia livremente e, permitimos que a palhinha alcance apenas a ponta da língua, possibilitando que, quando os lábios se fechem em redor, esta possa elevar. E, tendo em conta que a palhinha é um objeto que usamos, em algumas ocasiões, ainda em adultos, ao contrário dos bicos.

Alguns exemplos:

Copo Ezpz com palhinha       

Copo de palha Avent

É importante referir, sempre, que o impacto que cada utensílio terá em cada
bebé e criança, irá sempre depender da frequência do uso; e que estamos a falar
de crianças sem qualquer necessidade ou comprometimento especial.

 

Mas então, que copo devem os pais escolher? Existe um consenso entre as duas áreas?

É consensual que o copo aberto é a melhor opção para ensinar o bebé a beber, logo a partir dos 6 meses. Bem sabemos que pode ser mais desafiante numa fase inicial, mas é no desafio que reside a aprendizagem. E aqui a terapia da fala e a nutrição estão em acordo.

E que cuidados devem ter os pais na seleção e utilização do copo aberto:

  • O copo deve ser pequeno
  • O bebé deve beber sempre com apoio dos pais, numa fase inicial. Estes colocam pouca água no copo e guiam o movimento: incentivam o bebé a pegar no copo com as duas mãos e levantam o copo devagar para que beba.

O copo pode ou não ter pegas e se for transparente tanto melhor, pois a criança vê a água, e desta forma adequa o movimento em função da posição da mesma. Copos que se assemelhem a copos da família serão boas escolhas, para que o bebé se sinta integrado no ato de beber. Uma boa opção poderá passar por chávenas/ copos de café, por exemplo.

 

Copo Ezpz

Copo de vidro pequeno

Copo Babybjorn

Copo Doidy

O bebé só deverá beber sozinho a partir dos 6 meses, momento a partir do qual se espera que tenha estabilidade no tronco e coordenação motora suficientes, para tal desafio.

Então qual deve ser a alternativa antes dos 6 meses? E que copo leva para a creche?

Antes dos 6 meses o bebé pode beber água com copo aberto, mas sempre com os pais a guiarem o movimento. Em algumas situações o bebé pode precisar de um plano B, para levar para a creche ou para casa de outros cuidadores e mesmo para facilitar a hidratação, enquanto ainda está a aprender a beber por copo aberto.

E neste caso aconselhamos um copo com vazamento, mas sem palha ou bocal. Neste momento temos poucas opções de copos assim, mas o Copo Reflo pareceu-nos bem, por ser um copo “aberto” com uma tampa fixa no seu interior, que regula uma menor quantidade de saída de água. Ou seja: o bebé bebe tal e qual como de um copo aberto, mas recebendo menos água ao virar o copo, o que facilita o processo.

Copo Reflo

Uma ressalva importante: apesar de nos parecer uma ótima solução ainda não o testamos. 

Todos os profissionais de saúde e famílias que conhecem ou tenham testado o copo Reflo, assim como outras soluções que se adequem, escrevam por favor nos comentários.

Disclaimer: não pretendemos publicitar qualquer uma das opções. A intenção é
esclarecer os pais quanto às melhores escolhas para o bebé, com base no melhor
conhecimento nas áreas.

Lisa Afonso

Nutricionista Infantil | Curso de Introdução de Alimentos & Consulta de Nutrição

 

Sónia Coelho

Terapeuta da Fala | Consulta de Terapia da Fala e Miofuncional

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *